[D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Qua 24 Mar 2010, 11:12 am

Postem os prelúdios aqui, e não se esqueçam de enviar também como MP para o Tio Ork.




PS: Tio Ork, dá um nome pra campanha aí, mesmo que genérico. Dança


Última edição por E. Casati em Qua 24 Mar 2010, 5:29 pm, editado 1 vez(es)
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Qua 24 Mar 2010, 11:55 am

Bom, aqui vai o esboço do esboço do prelúdio do meu PJ. Sintam-se livres pra comentar a respeito dele e dar sugestões ou fazer críticas construtivas.

Ainda vou detalhar melhor, com uma narrativa decente. Como falei, isso é um esboço, abordando apenas os pontos principais.



Aelthas Dath'serar (em Comum: Dawnsinger)

É filho de nobres de [insira cidade eladrin importante], que fabricavam e comercializavam vidro. Ou seja, uma família muito rica, aristocrática. Seu pai sempre ausente ocupado com os negócios da família, e sua mãe tb ausente, mais preocupada com a política da corte do que em criar seus dois filhos.

Isso tudo fez com que Aelthas e seu irmão mais velho, Thalorien, se tornassem muito ligados um ao outro. Aelthas tinha uma grande admiração por Thalorien, um membro prodígio do exército de [cidade ou reino eladrin], que em pouco tempo de serviço estava sendo promovido para a 7ª Legião de Cavalaria Armada (o destacamento responsável pela guarda pessoal do Rei e das dependências da sua morada).

Thalorien era mais que um irmão mais velho, era como um pai para Aelthas. E a recíproca era verdadeira: Thalorien tratava Aelthas não apenas como um irmão mais novo, mas também como um amado filho. Ensinava a Aelthas os mais elevados valores de amizade, lealdade e honra.

Porém seus caminhos começaram a se separar quando Aelthas foi reprovado na academia de oficiais de [reino eladrin]. Suas capacidades bélicas foram "consideradas insuficientes", e o Conselho o indicou para a Escola de Artes Arcanas de [reino/cidade eladrin]. Nada poderia ser mais frustrante. Aelthas não poderia seguir o caminho do irmão, caminho tão almejado por ele. Mas, apesar de contrariado, Aelthas passou com êxitos nos testes para se tornar um aspirante a Mago de Guerra.

Aquilo era um dom. Aelthas não gostava do que fazia, mas tinha um dom inato para a magia. Era de longe o melhor de sua turma de recrutas, e seus instrutores estavam admirados com seu progresso.

Porém tudo foi por água abaixo quando, durante uma simulação de combate, algo saiu errado (não defini o que) e Aelthas atingiu um de seus colegas com um ataque mortal. O eladrin morreu, apesar dos esforços dos médicos. Isso só tinha uma consequência para Aelthas: a expulsão do programa de recrutas.

Agora nada restava a Aelthas. A única opção que tinha era trabalhar com seu pai e sucedê-lo no poder dos negócios da família Dawnsinger. Mas quando tudo estava negro à sua frente, e nenhuma esperança de uma vida heróica e repleta de aventuras tinha espaço em seu futuro, foi que surgiu uma nova oportunidade.

O [reino/cidade eladrin] estava entrando em guerra contra as tribos de goblinóides que se reuniam sob o estandarte de um único líder, e o Rei [nome] estava contratando os serviços de um exército de mercenários para fortalecer suas defesas. Foi quando Aelthas viu a oportunidade de sua vida.

Ele se inscreveu no exército para o posto de soldado de infantaria, e foi selecionado para a função mais ingrata de um exército: a linha de frente. Ou seja, Aelthas agora era um lanceiro mercenário, também integrante da parede de escudos do exército.

Nada poderia ter desapontado seu irmão mais que isso. Mercenários são considerados soldados sem honra, sem pátria, sem lealdade a nada a não ser ao dinheiro. Thalorien se afastou de Aelthas, e parou de falar com seu irmão.

E então o momento havia chegado. Os goblinóides atacavam a fronteira norte do reino, e o exército mercenário havia sido responsabilizado por defender aquela região. Apesar do afastamento e desapontamento de seu irmão, Aelthas estava feliz como nunca. Ele iria lutar em uma guerra, e como um soldado.

Durante a guerra, através de feitos heróicos em combate e serviços prestados, rapidamente Aelthas estava sendo promovido para Sargento, e em seguida a Capitão (muito disso devido à morte de sargentos e capitães). Aelthas não era um líder nato, mas era um exímio estrategista, e por muitas vezes seu destacamento vencia batalhas graças à suas idéias que faziam com que o exército executasse manobras inesperadas no campo de batalha.

Enquanto isso, na corte, boatos corriam de que o exército mercenário contratado pelo Rei estava planejando trair o [reino/cidade eladrin]. Essa conspiração aos poucos atingiu o Rei, e num dia qualquer o exército mercenário foi emboscado por goblinóides e o posto avançado dos eladrin não enviou ajuda propositalmente, para ver o exército ser dizimado antes que pudesse traí-los. Logo após isso, todos os membros do exército foram acusados de conspiração contra a coroa (?), e uma ordem de prisão foi expedida para todos os seus membros que haviam sobrevivido (e execução para quem resistisse a prisão).

Se o exército planejava uma traição ou não, isso ninguém nunca saberá. Mas Aelthas não sabia de nada, e a única coisa que havia almejado ao entrar no corpo do exército era defender sua terra e seguir o exemplo de seu irmão, e era isso o que ele fazia: defendia a fronteira com toda a determinação que encontrava em sua alma. Mas agora ele estava sozinho, acabado, sem pátria, sem exército e gravemente ferido.

Aelthas conhecia as leis de seu país, e sabia o que o aguardava se retornasse à sua cidade. Assim ele vagou por meses, a princípio nas florestas do [reino], mas aos poucos foi adentrando fronteiras vizinhas.

Agora, 4 meses após o ocorrido, Aelthas deixou sua vida rica de ouro e vidro para trás, e se tornou um andarilho proscrito, acabando por vagar pela região [região da aventura aqui] tentando sobreviver, caçando monstros que possam ameaçar o(s) vilarejo(s) próximo(s), talvez em busca de um novo propósito para sua vida.

As únicas coisas que carrega consigo são as armas que usava no exército, deixando sua armadura para trás (peso; por isso agora ele usa apenas um gibão).



Tenho que ir fazer umas coisas, e mais tarde eu posto aqui sobre a personalidade do PJ e sobre suas motivações.

Aguardo comentários!


Última edição por E. Casati em Qui 25 Mar 2010, 11:16 am, editado 2 vez(es)
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Qua 24 Mar 2010, 3:22 pm

Opa, já peguei aqui os dados do seu BG que eu precisava para ter um bom gancho pra vc. Se puder não mude os eventos que vc citou aqui.

Nome da campanha é: Nascidos das Trevas.
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Qua 24 Mar 2010, 5:28 pm

Não vou mudar nada não, pode ficar suce.

Só uma "alteração", que depois eu vou inserir no texto final do BG.

Ele não só está caçando monstros na região, como já fez contato com algum(ns) líder(es) de milícia do(s) vilarejo(s) próximo(s). Nenhuma ligação, apenas ofereceu serviços em caso de algum problema (mas isso você decide, pois se achar melhor ele não ter tido contato ainda, não tem problema).

Quando eu tiver feito o texto arrumadinho, eu te mando por MP.
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por DionatasAndreghetto em Qui 25 Mar 2010, 1:11 pm

Fir Ironsoul

Anão Guerreiro, Leal e Bom.

Criado dentro dos costumes e artes anãs na cidade [.1.], descidiu por conta própria e influências familiares seguir com os costumes da família defender a cidade de [.1.]. Seu pai um respeitado comandante dentro da milícia o impos de obter experiencia com os perigos que circundão a cidade e não ficar esperando pelo inesperado e sim ficar preparado para o que ele não conheceria. Sua mãe clérica de Moradin também o encentivou a tal para ajudar melhor em sua função, defender a cidade de [.1.].

Aceitou sua missão como um bom e obediente anão. Nunca sentiu medo em seu fardo o que para ele é um jubilo.

Em suas jornadas já teve muito contato com monstros e perigos que nunca tinha ouvido falar e conseguiu se prestar bem em suas tarefas (a escolha do mestre de aonde e que tipo de perigos).
Já deve ter conhecido boa parte das fronteiras do reinado anão, porém ainda não se sente apto a voltar ao seu posto até conhecer boa parte do continente e seus perigos.

Ocasionalmente conheceu um bardo que serviu de escrivão para os seus feitos e surgiu uma grande amisade entre eles, porém como todo bardo comum se sentiu atraido a seguir viagem para outro rumo assim que se fez possivel (possivelmente um gnomo caso já estejam previstos no cenário ou meio-elfo caso não) Gobnar "o audaz".

As vezes quando não sabia de algum perigo em volta do vilarejo aonde estária, se sentia livre em partir para fazendas proximas e oferecer emprego e proteção em troca de repouso e comida. Onde já deixou um punhado de conhecidos.
avatar
DionatasAndreghetto
Adren
Adren

Mensagens : 289
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Qui 25 Mar 2010, 3:53 pm

Galladann Sor'lias (comum: Soulfire) - Eladrin Mago

Nascido em Aur'sommenn (Autumm), na região norte da Agrestia das Fadas, Galladann viu sua vida acabar durante um ataque Drow à sua cidade, ainda criança, de onde escapou por um fio, com alguns livros de seu pai abraçados ao peito.

Sem rumo e sem esperanças, vagou pela floresta, acabando por adentrar o mundo natural e se perdendo de seu próprio plano. Foi resgatado por um grupo aventureiro e entregue na cidade de [nome da cidade em que a aventura começa], onde foi criado por um casal de humanos idosos como se seu filho fosse.

Jamais abandonou a doutrina Eladrin, que seguiu através dos livros de sua agora extinta cidade natal. Apaixonado pela cultura de seus pais biológicos, estudou livros de magia, que conseguiu na cidade, e despertou seu dom para a arte Arcana. Acredita piamente que foi o deus Corellon quem o salvou da morte e por isso o agradece sempre, pedindo por proteção e poder. Seu cajado está sempre em punhos e sua espada longa sempre na sua cintura ao lado de seu grimório, como na imagem que mantém de seu pai em sua mente.

Sua paixão pela doutrina Eladrin só não é maior que seu ódio mortal contra Lolth e seus drows. Ouvindo histórias de seus conterrâneos que se aventuram no mundo natural, uma vez que nunca voltou à Agrestia das Fadas, acabou por acreditar que aquele ataque à sua cidade terminou por culminar em uma invasão em larga escala de uma iniciativa goblinóide contra o reino de [insira o nome do mesmo reino do Dawnsinger] anos mais tarde.

Ambiciona encontrar livros de magia e objetos mágicos Eladrin perdidos pelo mundo natural, como forma de honrar suas origens, antes de finalmente voltar à Agrestia das Fadas para o crepúsculo de sua própria vida.

E quantos mais drows e outros adeptos da deusa-aranha (ou quem sabe a própria) conseguir destruir, melhor.



É reservado em interações sociais, realista e desconfiado; é adaptável em momentos de decisão, flexível em relação a seguir as regras e possui um instinto protetor apurado; é bravo em situações difíceis, corajoso diante de obstáculos e muito impetuoso para um Eladrin (graças à sua criação humana).
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Sex 26 Mar 2010, 2:24 pm

Ironsoul, soulfire, Dawnsinger...

Quando que vão começar a fazer nomes em PT??? :p

Eu acho mais massa assim:

Alma de Ferro, Alma(Espirito) de Fogo, Chantre do Alvorecer...
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Sex 26 Mar 2010, 3:38 pm

Sem problemas para mim, Mestre...
Mas no meu caso acho que mais correto seria Fogo Da Alma (eu acredito em você, você que é o teatcher....hehehe); ou, ainda Fogo D'alma (huahuahua, esse é engraçado

E mais, o que seria "Chantre do Alvorecer"?

XD

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Sex 26 Mar 2010, 3:48 pm

chantre é cantor.
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Sex 26 Mar 2010, 3:54 pm

Nossa.
Espírito de Fogo, meu deus, isso me levou pra muito longe!

Fëa = Espírito;
Nár (náro) = Fogo.

Fëanor = Espírito de Fogo. Pidão Aham Love

OMG!!!


PS.: Pra quem não entendeu nada, pesquise sobre Fëanor, Quenya ou vá ler O Silmarillion!
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Sex 26 Mar 2010, 4:00 pm

Conheço. Fëanor ralmente foi um espírito de fogo!
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Sex 26 Mar 2010, 4:42 pm

Não tinha me atentado para esse fato ainda...
auauahuha
mas é verdade....

MIM= Sor'lias (Élfico) = Fogo da Alma (Comum) = Fëanor (Quenya)

XD

Fez meu dia, maluco!!! cheers

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Luc1f3R em Qua 31 Mar 2010, 2:43 pm


WILL
"Muitos podem escolher o arco, porém poucos são escolhidos por ele."

PRELÚDIO

Um órfão deixado na “roda dos excluídos” do monastério das propriedades do Barão Arald. Foi deixado dentro de uma cesta de pão, enrolado em um cobertor, o qual tinha preso um bilhete que dizia:

“A sua mãe morreu no parto.
O pai morreu como herói.
Por favor cuidem dele. Seu nome é Will.”

Apenas uma coisa o diferenciava do restante dos órfãos, ele era um Elfo.

Assim, durante 14 anos, Will cresceu entre Humanos, privilegiado pela generosidade do Barão que mantinha o monastério livre de impostos e com os mantimentos necessários. Ele as vezes era muito perturbado pelas crianças mais velhas, devido a sua origem, mais conseguiu ganhar a afeição de outros também.
Todos ali sabiam quem eram e qual o destino de seus pais. Exceto ele. Perguntas atormentavam a sua cabeça. E com o bilhete do cesto em mãos ele fantasiava seu pai em uma armadura grande e brilhante, com uma espada e um escudo reluzente, montado em um cavalo, frente a tropa, liderando, encorajando e sagrando-se vitorioso da batalha.

E foi nesse espírito de confiança que aos 15 anos, ele fez o teste para a guarda do reino. Seu porte físico não era dos melhores, porém sua agilidade era invejável. Para sua decepção ele foi reprovado no corpo de cavaleiros da guarda. Mais sua grande agilidade chamou a atenção de Lorde Ímpetus, o melhor arqueiro do reino. O Lorde chamou Will para uma conversa rápida, e marcou um outro teste com o garoto para o dia seguinte na clareira da floresta depois do riacho dos bois, ao norte da cidade. Renovadas as esperanças, Will nem dormiu direito, mais cuido-se para manter o corpo descansado pois sabia que precisaria.

No dia seguinte, ao chegar na clareira deparou-se com Lorde Ímpetus a sua espera. De um lado havia algumas espadas, e do outro um arco. Lorde Ímpetus disse a Will que sua raça era conhecida pelos muitos feitos com o arco, mais via nos olhos de Will a fome pela espada. Por algumas horas o Lorde testou as habilidades de Will brandindo a espada, e pareceu estar convencido de que o arco era a melhor opção. Em um breve tempo de descanso, Lorde Ímpetus foi ao riacho dos bois buscar água, e Will sozinho ali resolveu na ausência do Lorde “experimentar” pela primeira vez o arco. Como se já tivesse feito isso diversas vezes, ele sentiu um certo conforto em armar o arco e seu corpo inconscientemente tomou a posição correta de disparo. Então Will apenas posicionou-se na direção de um alvo que estava preso a uma árvore a alguns bons passos de distância, e ao soltar a seta, foi surpreendido com um tiro certeiro no centro do alvo. Surpreso e achando tratar-se apenas de sorte de principiante, armou outra seta no arco, e mirou em um outro alvo ao lado do primeiro, mais agora ele mesmo se sentiu mais familiarizado com a arma, e em um simples abrir de dedos, colocou a seta quase que milimetricamente no centro do alvo. Assustado com a precisão do tiro, largou o arco onde achara, porem não sabia que Lorde Ímpetus estava a observar os seus disparos. Meio que sem jeito pelo flagrante, tentou disfarçar, mais em uma frase de encorajamento, Lorde Ímpetus disse-lhe:

“Muitos podem escolher o arco, porém poucos são escolhidos por ele.”

E Will sentiu que esse era o caso, o arco o havia escolhido para empunha-lo.

Lorde Ímpetus resolveu acolher Will como discípulo e passar seus ensinamentos. Por Will ser dedicado em seus treinamentos, Lorde Ímpetus passou todos os seus conhecimentos no período de 7 anos. Ao final, presenteou Will com um arco feito da melhor madeira e uma aljaveira feita de couro. E pediu que Will fosse abrir seus horizontes pois ali ele já aprendera todo o possível.

E assim Will chega a cidade (ou reino) de [...] (lugar onde se passa a campanha) para novos aprendizados e conquistas.
avatar
Luc1f3R
Athro
Athro

Mensagens : 562
Reputação : 1
Data de inscrição : 19/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por DionatasAndreghetto em Seg 05 Abr 2010, 4:34 pm

Pela situação que estamos, não é bom levar um personagem extra?

Como estou caido inconciente, e com 2 falhas nas estabilizações, vou tomar a liberdade de levar um Defensor extra, no caso um Paladino Meio Elfo.
avatar
DionatasAndreghetto
Adren
Adren

Mensagens : 289
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Seg 05 Abr 2010, 4:55 pm

Rolando
Nossa, to rindo muito! Hahauahuahuahuahua

Meu PJ tá com 1 PV, sem mais nenhum Inspiring Word e sem Retomar Fôlego, e o teu tá a 1 TR de morrer. LOL

Acho que isso é uma boa idéia mesmo... hahahaha Vou pensar se levo um Draconato Senhor da Guerra (Inspirador ou Destemido) ou um Shaman (se o Thiago deixar).
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por DionatasAndreghetto em Seg 05 Abr 2010, 4:59 pm

Então pra simplificar, fazer os mesmos role, pq caso o outro role que vc iria querer, não morra dai fica 2 role na mesa. Que é as classes q vc sugeriu.
Não sei como estão os outros, mas acho que o Charton tá com 10 pv acho que o mais de boa é o mago. Então, se vc for pegar um Warlord parecido com o seu, vou ter que pegar um talento que eu uso Carisma no ataque e no dano de um Ataque Base C/C.
avatar
DionatasAndreghetto
Adren
Adren

Mensagens : 289
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Seg 05 Abr 2010, 5:04 pm

Não vai ser parecido não.
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Seg 05 Abr 2010, 5:25 pm

Maluco, tá é todo mundo fudido ali.....

Eu tenho 12 pvs, sem retomar fôlego, sem ponto de ação e com os dois monstrengos colados em mim. A primeira rodada vai ser minha. Vou atacar com minha Ooooonnnddaaaaa de Choqueeee (XD), rezar para acertar os dois, empurrá-los 1 quadrado cada e ou me movimentar pro lado do Guerreiro morto ou me distanciar deles.

Talvez atrase minha rodada para depois do warlord, que vem depois de mim e antes dos monstros, para que ele possa atacar antes de sair de lá........

Se conseguir alcançar o Guerreiro, na minha próxima rodada, se o Guerreiro E eu sobrevivermos, uso uma ação padrão para estabilizá-lo, caso ainda seja necessário, e a rodada de movimento para ajustar a Esfera flamejante entre os bixos.......

XD

É, tá todo mundo na roça.......

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Prelúdio

Mensagem por PapytoD15 em Sex 07 Maio 2010, 1:48 am

Um texto que eu escrevi pro prelúdio do Athos, meu novo mago.....


Athos Folhad'outono

Athos corria desesperado pelos corredores da Escola de Artes Arcanas do reino de Mithrendain. Estava atrasado. Não sabia qual seria a consequência de mais esse atraso em sua ficha de cadete.

Finalmente, a porta que o levaria à sua aula prática, onde se dava pior. Sua mão encostara no último obstáculo quando uma explosão do lado de dentro da sala o arremessou, junto com a maciça porta, contra a parede oposta do corredor.

Uma fumaça negra, ainda com resquícios de magia misturados às faíscas e brasas, escapava sala afora, tomando o corredor. Gritos de desespero e dor brotavam daqueles que se encontravam do lado de dentro.

Ainda com seus ouvidos zunindo e a visão embaçada, lentamente Athos tentava se levantar. Foi nesse momento que lembrou de Aelthas e o medo tomou conta de sua mente. Seu melhor amigo estava naquela sala. Se levantou de um pulo e olhando pelo vão, parou boquiaberto e aturdido com aquela visão.

A fumaça começava a ceder e ali, no meio da destruição daquele salão, Aelthas estava de pé, incólume, olhando para suas próprias mãos, que ainda chamuscavam com runas arcanas.

Athos foi amigo de Aelthas desde o primeiro dia em que se conheceram, ainda na academia de oficiais. Passaram por todo o treinamento juntos. E falharam. Athos não ficou nem um pouco sentido por aquele fato, jamais quisera aquela vida; aquele era o desejo de seu pai, que acabou por ter que engolir a escolha do filho pela Escola de Artes Arcanas de Mithrendain. Aelthas, no entanto, seguiu a vontade do Conselho e, com um pesar imenso, seguiu seu amigo. Sempre tivera sido seu sonho seguir os passos de seu irmão.

Na Escola Arcana, Athos estava confortável. Continuava indo mal em provas práticas, mas era muito esforçado e estudioso. Era o segundo melhor de sua classe em se tratando de teoria Arcana e conhecimentos afins. Apenas UM eladrin era melhor que ele. Seu melhor amigo: Aelthas Dawnsinger.

Aelthas com certeza estava pesaroso com o fato de não poder fazer parte da Cavalaria Armada de Mithrendain, como seu irmão, mas seu corpo e mente pareciam ter sido forjados para as artes arcanas. A graça com que alcançava os melhores resultados embasbacava a todos. Era considerado um prodígio. Possuia algum tipo de dom.

Os amigos haviam mudado de ambiente, mas continuavam inseparáveis. Nos treinos práticos, apesar de acabar tendo de segurar seu potencial, Aelthas sempre treinava com Athos.

Tudo isso acabou naquele fatídico dia. Talvez, pelo fato de não estar treinando com Athos, Aelthas tenha se soltado um pouco demais. Não há como saber. O fato é que tudo mudou a partir daquele dia. Ele fora expulso.

Aelthas ficou completamente desgostoso. Acabaria como um aristrocata, como seu pai. Não existiria castigo pior.

Athos, por sua vez, por muito tempo se culpou pelo infortúnio de seu amigo. Se não estivesse atrasado, naquele dia, aquilo jamais teria acontecido.

Algum tempo se passou e Athos continuava sem ânimo nos treinamentos; perdera sua concentração, sua motivação de lutar.

...

Rumores de guerra e invasão se espalhavam como rastilho de pólvora na Cidade-Estado de Mithrendain. Exércitos de globinóides marchando sob uma mesma bandeira. O medo era geral. os melhores recrutas haviam sido chamados às armas precocemente. Os piores, como Athos, ficavam na reserva, preparados para tomar o lugar de qualquer um que caísse.

Sussurros corriam os corredores da Academia de Artes Arcanas de que o líder do Conselho da Cidade estava usando de mercenários para lutar suas batalhas; e que um eladrin se destacava entre os mercenários. Seu nome era Aelthas Dawnsinger.

O choque de descobrir que seu melhor amigo não desistira de seu sonho deu um ânimo completamente novo para Athos. Seu esforço e estudo foram dobrados. Começou a se destacar nos treinos práticos e, quando abriu uma vaga, fora chamado para servir em campo sob o comando do Capitão Thalorien Dawnsinger da 7ª Cavalaria Armada de Mithrendain.

A guerra estava sendo vencida. Aelthas, junto dos mercenários, os liderando, rechaçava grande parte dos exércitos inimigos. Em outro fronte de combate, ou os inimigos caíam pela espada de Thalorien Dawnsinger ou pelas artes arcanas de Athos Folhad'outono.

Athos se destacou muito em campo, acabando por se tornar o braço direito do Capitão Dawnsinger. Tudo ia bem.

Já perto do fim da guerra, no entanto, os líderes do Clã de Mithrendain começaram a temer uma insurreição por parte do exército mercenário que crescia em número e em poder.

Com a possível traição em mente, os mercenários foram abandonados, sem reforços, na batalha, que acabaria por ser a última, a mais sangrenta e feroz de todo o embate entre as duas raças. A maioria deles morreu aquele dia, apesar de terem vencido a luta, e os que não morreram, receberam ordem de prisão. Aelthas estava entre o segundo grupo e acabou se exilando da própria Agrestia das Fadas. Estava perdido.

...

_Capitão, peço permissão para falar livre e honestamente, Senhor!

_ Por que fazes isto, Athos? Sabes muito bem que te considero meu amigo pessoal desde o primeiro dia que visitou minha casa pela primeira vez, juntamente a Aelthas.... permissão concedida, é claro.

_Thalorien, seu irmão, meu melhor amigo, está desaparecido. Nós temos que ir em sua busc.....

_Ele mesmo procurou seu destino! Se tornar um soldado sem honra! Um reles mercenário!

_Ele não teve outra escolha, Thalorien! Era lutar por sua cidade como um mercenário ou ser um aristocrata! Tenho certeza que você faria a mesma coisa que Aelthas!

_Você realmente acredita que eu venderia minha força por dinheiro?

_E você realmente acredita que Aelthas o faria?

_Eu com certeza não acreditava, mas os fatos falam por si mesmos. Ele se tornou um mercenário. Sua lealdade é comprada e paga com moedas de ouro. A cor dourada é o que move o garoto.

_O ouro não o interessa! Jamais interessou! Ele só falava de defender nossa Cidade! Sua lealdade esta com sua Casa! Com seu Clã!

_Ele é um MERCENÁRIO, Athos!

_Ele só quis ser como VOCÊ! Sempre foi assim!

_Eu... eu...

_Não sabia disso? Seu irmão te idolatrava! Ele lutava por SUA honra! Por nossa Cidade! Por SUA Casa! Nunca por ELE! NUNCA!

O silêncio que se seguiu só era quebrado pela pesada respiração de Athos. O rosto de Thalorien estava tão sombrio que Athos não conseguia mais encará-lo.

Um súbito movimento do Capitão fez com que Athos se alertasse. Thalorien Dawnsinger se levantou de onde estava sentado e, com a voz perfeitamente firme, disse:

_Soldado, volte para seu alojamento e junte seus pertences!

_Não! Thalorien, quero dizer, Capitão, eu....

_ Nós temos que encontrar meu irmão, Eladrin! Vá se arrumar! Nós viajamos leves!

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Sex 07 Maio 2010, 9:11 am

substitui texto por jornal!! huahauh

mas ficou massa sim!
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Sex 07 Maio 2010, 6:00 pm

TY

XD

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por E. Casati em Seg 10 Maio 2010, 10:39 pm

*beep* QUE PARIU PABLO!!!

Meu deus cara! ^^

Nossa... to sem palavras, sério! Muito *beep* mesmo!!! Tá na hora de começar a escrever Os Contos de Feywild! *beep*!
avatar
E. Casati
Incarna
Incarna

Mensagens : 2674
Reputação : 2
Data de inscrição : 18/03/2010
Localização : Cuiabá - MT

http://atocadodragao.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por PapytoD15 em Seg 10 Maio 2010, 10:46 pm

XD

__________________________________________________
"A existência da vida é um fenômeno exageradamente valorizado"
Dr. Manhattan


In brightest day, in blackest night,
No evil shall escape my sight
Let those who worship evil's might,
Beware my power... Green Lantern's light!



You who are wicked, evil and mean
I'm the nastiest creep you've ever seen!
Come one, come all, put up a fight
I'll pound your butts with Green Lantern's light!
Yowza.



"Erga-se e erga-se novamente, até que cordeiros se tornem leões"
avatar
PapytoD15
Ancião
Ancião

Mensagens : 902
Reputação : 1
Data de inscrição : 20/03/2010
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Tio Ork em Sab 15 Maio 2010, 12:16 pm

pessoal, preciso do arquivo de character builder de 2 personagens ainda, o do Casati e do Charton... podem me mandar até as 15?
avatar
Tio Ork
Fostern
Fostern

Mensagens : 143
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2010
Idade : 32
Localização : Cuiabá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [D&D 4e] Nascidos das Trevas: Prelúdios dos Personagens Jogadores

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum